segunda-feira, 16 de março de 2009

"Sonha e serás livre de espírito. Luta e serás livre na vida." Che Guevara



Para Kant, ser livre é ser autônomo, isto, é dar a si mesmo as regras a serem seguidas racionalmente. Todos entendem, mas nenhum homem sabe explicar.

Para Spinoza, ser livre é fazer o que segue necessariamente da natureza do agente.

Para Leibniz, o agir humano é livre a despeito do princípio de causalidade que rege os objetos do mundo material.

Para Schopenhauer, a ação humana não é, absolutamente, livre. Todo o agir humano, bem como todos os fenômenos da natureza, até mesmo suas leis, são níveis de objetivação da coisa-em-si kantiana que o filósofo identifica como sendo puramente Vontade.

Para Jean-Paul Sartre, a liberdade é a condição ontológica do ser humano. O homem é, antes de tudo, livre. O homem é livre mesmo de uma essência particular, como não o são os objetos do mundo, as coisas. Livre a um ponto tal que pode ser considerado a brecha por onde o Nada encontra seu espaço na ontologia.




"...Liberdade, essa palavra
que o sonho humano alimenta
que não há ninguém que explique
e ninguém que não entenda..."

Cecília Meireles
(Romanceiro da Inconfidência)



Liberdade, em filosofia, designa de uma maneira negativa, a ausência de submissão, de servidão e de determinação, isto é, ela qualifica a independência do ser humano. De maneira positiva, liberdade é a autonomia e a espontaneidade de um sujeito racional. Isto é, ela qualifica e constitui a condição dos comportamentos humanos voluntários.



O que é então a liberdade? Nascer é ao mesmo tempo nascer do mundo e nascer no mundo. O mundo está já constituido, mas também não está nunca completamente constituído. Sob o primeiro aspecto, somos solicitados, sob o segundo, somos abertos a uma infinidade de possíveis. Mas esta análise é abstrata, pois existimos sob os dois aspectos ao mesmo tempo. Portanto, nunca há determinismo e nunca há escolha absoluta, nunca sou coisa e nunca sou consciência nua. Em particular, mesmo nossas iniciativas, mesmo as situações que escolhemos, uma vez assumidas, nos conduzem como que por benevolência. A generalidade do "papel" e da situação vem em auxílio da decisão e, nesta troca entre a situação e aquele que a assume, é impossível delimitar a "parte da situação" e a "parte da liberdade". Torturam um homem para fazê-lo falar. Se ele se recusa a dar os nomes e os endereços que querem arracar-lhe, não é por uma decisão solitária e sem apoios; ele ainda se sente com seus camaradas e, engajado ainda na luta comum, está como que incapaz de falar; ou então, há meses ou anos, ele afrontou esta aprovação em pensamento e apostou toda sua vida nela; ou enfim, ultrapassando-a, ele quer provar aquilo que sempre pensou e disse da liberdade. Esses motivos não anulam a liberdade, mas pelo menos fazem com que ela não esteja em escoras no ser. Finalmente, não é uma consciência nua que reside à dor, mas o prisioneiro com seus camaradas ou com aqueles que ele ama e sob cujo olhar ele vive. [...] E sem dúvida é o indivíduo, em sua prisão, que reinvidica a cada dia esses fantasmas, eles lhe restituem a força que ele lhes deu, mas, reciprocamente, se ele se envolveu nesta ação, se ele ligou a estes camaradas ou aderiu a esta moral, é porque a situação histórica, os camaradas, o mundo ao seu redor lhe parecem esperar dele aquela conduta. Assim, porderíamos continuar sem fim a análise. Escolhemos nosso mundo e o mundo nos escolhe.

MERLEAU-PONTY

11 comentários:

  1. ae mt loko o blog ake ^^
    parabens ae \o/

    ResponderExcluir
  2. Meu herói da juventude, meu sonho para o hoje, talvez ilusório.Mas quem não sonha? Queria que todas as primaveras, fosse minha, tua, nossas.

    ResponderExcluir
  3. Será que aprendi direito?
    Não basta "estar livre para ser livre", liberte sua mente e não importa onde estejas terás alcançado a tua liberdade!
    Liberdade, totalmente distindo de libertinagem, algo tão simples de entender e para alguns o mais complexo...

    Parabéns pelo site!
    Amei!

    Boa Noite! ;)

    ResponderExcluir
  4. aaaah, peeerfeito o blooog *-*
    as footoos e os posts , tuudo ' ta de parabéns, pela intelectualidade , congratulations , hehe (L)

    ResponderExcluir
  5. Blog do questionamento ..!!
    aew tah certo parabéns pela idéia...

    como disse che... Eles podem até tirar minha vida, mas nunca minha liberdade.

    a internet fica um pouco mais inteligente
    e menos depravada com blogs como este.

    vlw

    ResponderExcluir
  6. Mto lgl esse blog!!!



    Não devemos ser escravos de um padrão, de uma época, de um costume. Aprendendo a pensar por nós mesmos, experimentamos a liberdade.
    (Luiz Márcio M. Martins)

    ResponderExcluir
  7. A LIBERDADE AINDA QUE TARDIA É O ATO DE SE TORNAR ESCRAVO, PRESO AO QUE É BOM, PRESO AO QUE É CERTO, PRESO AO QUE É DIVINO.

    NASCIMENTO, JOZAILSON MOURA DO.

    ResponderExcluir
  8. ser livre? em que parte?
    Somos livres e não somos livres!
    Escravos dos próprios pensamentos..

    alguns acham que são livres, mas na verdade estão presos em si mesmo, numa cadeia imaginária.

    ResponderExcluir
  9. A liberdade esta dentro de cada pessoa, cabe a qual escolher ser livre ou viver em suas proprias prisoes.

    ResponderExcluir
  10. Muiito doiddo Che Guevaraaa!!!
    Ele é um idoloo
    Muito doido esse blogg

    vlww

    ResponderExcluir
  11. FElipiNZz AndradeE25 de março de 2009 10:42

    Liberdade ? quando voce pensa que que se libertou de todas as coisas, vc acaba se prendendo no pensamento de que esta livre !
    ou seja, liberdade é uma palavra muito abrangente, tpow ninguem pode dizer "EU SOU LIVRE" Se disser vc pergunta livre de que ?
    talvez ela diga do pecado, da penitenciaria ...
    Mas do pecado ninguem esta livre, pois pecamos!
    E da penitenciaria ? A sociedade é uma penitenciaria na qual os carcereiros somo nós mesmos, nós nos prendemos nos pensamentos, nos costumes, doutrinas ...!

    ResponderExcluir